Dicas de como se alimentar bem na pandemia

Professora da Estácio, Daniella de Brito, orienta sobre como organizar a alimentação e faz um alerta sobre a compensação



Há mais de um ano a pandemia vem interferindo na rotina do brasileiro. Um estudo feito pela Nutrinet Brasil, sobre a saúde da população, mostrou que houve aumento na alimentação precária. Uma prática que se tornou comum é fazer compensação de alimentos durante a semana, mas será que esse é o melhor caminho?


Segundo uma pesquisa feita pela agência CDN e a Orbit Data Science, no início da pandemia em 2020, cerca de 160 mil comentários em redes sociais mencionaram o termo ‘minha alimentação’. Sendo que grande parte das postagens falam sobre o impacto negativo que a falta de regulação alimentar causa na qualidade de vida.


A pesquisa mostra que a população está procurando por dicas de como ter uma alimentação saudável. Observando que uma boa parcela começou a se preocupar mais com sua saúde durante este período.


Segundo a professora do curso de nutrição da Estácio, Daniella de Brito, mesmo com a alimentação precária, algumas pessoas buscam melhorar o seu cardápio. “A falta de tempo é um problema quando estamos trabalhando em home office, pois esquecemos de fazer alguma refeição. E pelo comodismo, decidimos consumir mais produtos processados”, afirma a nutricionista.


Por outro lado, ficar em casa trouxe um incentivo para aqueles que desejavam ter mais tempo para cozinhar uma comida caseira e melhorar a qualidade de vida. “Procure sempre os produtos com menor lista de ingredientes, menos nomes estranhos, o mais próximo de um alimento natural. O ideal é focarmos em alimentos in natura ou minimamente processados”, orienta a professora da Estácio.


Daniella explica que, para não se perder na rotina sem se alimentar direito, é preciso planejamento. “A dica é utilizar o final de semana para fazer preparações e congelar as refeições. Organize as marmitas prontas para a semana, faça carnes e deixe congelado, como frango, carne moída, bifes fatiados e hambúrguer caseiro. As verduras, podemos deixar já higienizadas na geladeira, para no dia só ralar ou picar”, exemplifica.


Para a nutricionista, fazer compensações não é a melhor maneira de manter uma alimentação saudável, principalmente na quarentena. “Gosto sempre da palavra equilíbrio e não compensação. Se vacilou um dia, comeu alimentos com mais gordura, churrasco, feijoada, no outro o ideal é comer alimentos com mais fibras, salada, folhas e carnes magras. Se comeu muito doce em um dia, não coma no outro. Então, é só equilibrar a qualidade dos alimentos que consome, a frequência e, é claro, realizar exercícios físicos e beber bastante água”, finaliza.


Além disso, de acordo com o Ministério da Saúde, prestar atenção nos horários corretos de cada refeição principal (café da manhã, almoço e jantar) é de extrema importância. O órgão também reforça a importância de se comer devagar e de forma regular, que é o ideal para o processo digestivo.

Destaque
Recentes
Siga a gente
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Cinzento Ícone Google+